O WhatsApp deverá ter uma novidade muito aguardada pelos usuários: o modo noturno. Essa informação foi publicada pelo WABetainfo, especializado em adiantar informações sobre o WhatsApp.

A principal vantagem do modo noturno é diminuir a luminosidade do display do celular. O recurso torna mais confortável o uso do aplicativo durante a noite e em locais de pouca luminosidade.

O WABetainfo conseguiu identificar que o modo noturno é uma provável mudança do aplicativo pela análise do código da plataforma. Porém, não existe um posicionamento oficial do próprio WhatsApp.

Em momentos anteriores, quando outras novidades sobre o popular mensageiro foram antecipadas, demoraram algumas atualizações até que os rumores fossem concretizados.

Concorrência

Enquanto para os usuários do WhatsApp o recurso é uma novidade, para quem prefere o Telegram, isso já não é algo novo há bastante tempo. Inclusive, é possível programar o app para que o ajuste de luminosidade seja feito automaticamente.

Uma pequena cidade norte-americana na região de São Francisco, lar do Vale do Silício, decidiu bloquear a instalação de torres de 5G próximas à sua área. Segundo reportagem do TechCrunch, o município de Mill Valley emitiu uma portaria de urgência para impedir a implementação de qualquer equipamento relacionado à tecnologia de rede em seu território. O motivo? Receio de que a radiação eletromagnética emitida pelas antenas gere problemas de saúde na população.

A portaria foi emitida após o conselho municipal receber quase 150 pedidos de moradores da cidade para limitar a instalação do 5G. A população local é de 14 mil pessoas, e apenas cinco delas se mostraram favoráveis à chegada da nova tecnologia.

O bloqueio se refere principalmente às small cells, pequenas antenas que são normalmente instaladas em postes e até mesmo orelhões. Esses equipamentos se tornaram mais populares com o crescimento do 4G, e costumam ser usados para aumentar a cobertura de uma rede sem que a operadora precise montar uma daquelas antenas enormes.

Mas há riscos? 5G causa câncer?

A dúvida é antiga, mas ainda não há consenso dentro da própria comunidade científica. O que se sabe é que o nível de radiação emitido pelas small cells é consideravelmente menor do que o das torres maiores, e a indústria diz que elas não representam um risco para a saúde.

Faz sentido, visto que elas são dedicadas a cobrir áreas pequenas, e por isso não precisam emitir um sinal com tanta força. Mas especialistas acreditam que ainda é preciso estudar melhor os efeitos da radiação, independentemente de onde ele venha.

“Baseado no que sabemos hoje, não há risco”, explicou Martin Röösli, do Swiss Tropical and Public Health Institute, a uma reportagem recente do Deutsche Welle. “Mas precisamos considerar uma margem de erro grande, porque ainda há muitas incertezas nessa área.”

Uma matéria da CBS diz quase o mesmo, citando o Instituto Nacional do Câncer nos EUA: “um número limitado de estudos trouxe algumas evidências de associação estatística de uso de celulares e riscos de tumores cerebrais, mas a maioria não viu essa relação”.

Departamento de Saúde Pública da Califórnia, no entanto, já preferiu ir com mais cautela em um alerta emitido no fim do ano passado. “Ainda que a comunidade científica não tenha chegado a um consenso sobre os riscos do uso de celulares, pesquisas sugerem que a utilização constante e a longo prazo pode impactar a saúde das pessoas”, diz o texto.

É esse receio que já fez com que outras cidades próximas a Mill Valley e ao Vale do Silício emitissem ordens similares à do pequeno município. Mas, como lembra o TechCrunch, nem todo se preocupa com isso: na China, por exemplo, os investimentos para acelerar a implantação do 5G só aumentar, e o país logo deve ter uma estrutura completa para a rede.

A atualização para o Android 8.1 (Oreo) começou a chegar aos celulares que ainda rodam a versão 7.0 (Nougat). Se você tiver um aparelho Moto G5 Plus, a boa notícia é que já é possível atualizá-lo para esta versão.

O processo abaixo é realizado diretamente no celular e leva em torno de 10 a 15 minutos para ser completado, precisando apenas de uma conexão Wi-Fi e cerca de 1,2 GB de espaço livre para armazenamento. Também é necessário estar com pelo menos 50% de carga da bateria. Vamos ao passo a passo:

  1. Entre na tela de “Configurações” do aparelho e vá em “Sobre o dispositivo”;

    Reprodução

  2. Clique em “Atualizações do sistema”, aguarde o processo de verificação caso ele ocorra e clique em “Instalar”.

    Reprodução

Apesar do processo ter sido demonstrado no Moto G5 Plus, ele é igual nos outros aparelhos da Motorola. Assim, se você tiver um aparelho da Motorola e desejar realizar a atualização do sistema, basta seguir este procedimento.

As compras feitas pelo Mercado Livre chegarão mais rápido ao consumidor futuramente graças a nova iniciativa do serviço: o Mercado Envios Flex. A nova modalidade, que será testada em São Paulo primeiramente, utilizará um aplicativo para ajudar os lojistas a encontrarem a melhor forma de fazer a entrega dentro de 24 horas.

Segundo o anúncio, o aplicativo vai disponibilizar uma rede de transportadoras para os comerciantes e, assim que o pedido do consumidor for confirmado, o dono do negócio poderá escolher entre diversas formas de entrega, incluindo a pé, de bicicleta, moto ou carro.

O objetivo da novidade é utilizar a proximidade do vendedor e os compradores para acelerar o processo de entrega. Para incentivar o uso do Envios Flex, o Mercado Livre dará destaque para as lojas que adotarem a modalidade.

No ano passado, o Mercado Livre também lançou um programa para fazer o armazenamento de mercadorias para os vendedores visando aprimorar a distribuição dos produtos. Possivelmente os lojistas que utilizam este serviço também devem adotar o Mercado Envios Flex.

O Mercado Livre ainda não anunciou quando vai disponibilizar o app, mas possivelmente os testes devem começar ainda este ano.

A Rede Nacional de Pesquisas (RNP) lançou durante o Fórum 2018, que aconteceu nos dias 28 e 29 de agosto de 2018 em Brasília, o Nasnuvens. Com uma proposta inédita, o ambiente web é focado em aplicações e serviços em cloud computing para gestores de TIC, pesquisadores, professores e alunos de pós-graduação de todo o Brasil.

“O Nasnuvens conta com um ambiente integrado e personalizado, onde estarão centralizados os serviços em nuvem da RNP e seus parceiros, permitindo que cada usuário faça a gestão das suas aplicações em um mesmo ambiente. Tudo de forma simples e intuitiva”, explica José Luiz Ribeiro Filho, diretor de Serviços e Soluções da RNP. O projeto foi desenvolvido em parceria com a Globalweb, empresa brasileira de Tecnologia da Informação.

Dentre as ofertas disponíveis, estão aplicações próprias da RNP como o Edudrive, Mconf, Compute e FileSender, além de ferramentas de provedores reconhecidos no mercado, como Office 365 da Microsoft e Gsuite for Education do Google. “As ofertas irão se ampliar ao longo do tempo com acordos que a RNP está desenvolvendo com diversos provedores de serviços e instituições parceiras.

Esses acordos seguem rigorosos critérios, baseados na vasta experiência e conhecimento da RNP no desenvolvimento e operação de serviços de TIC, bem como nas pesquisas de campo que nortearam o projeto Nasnuvens”, detalha o diretor.

Toda a tecnologia usada para construção do portal está baseada nos mais modernos conceitos de Cloud Service Broker, que integra nuvens públicas e privadas, assim como as mais variadas soluções em um mesmo local, para facilitar a experiência de uso. “O usuário acessará com sua conta única da universidade (Single Sign-On), tendo disponível um portfólio de serviços da RNP para sua instituição.

Poderá adquirir serviços gratuitos ou pagos, disponibilizados diretamente pela RNP ou parceiros, por meio de um catálogo self-service, onde aplicações e servidores serão autoprovisionados e entregues ao usuário, que terá a gestão dos seus recursos através de um workspace” explica Jônatas Mattes, Diretor de Cloud Computing da Globalweb. Segundo ele, pelo portal será possível acompanhar a performance e os custos dos serviços, podendo os ajustar conforme suas necessidades.

“O grande benefício é que os usuários terão acesso rápido a recursos tecnológicos de ponta da RNP e dos provedores de nuvem, democratizando a tecnologia e acelerando a pesquisa e a inovação. Com o ganho em escala do projeto toda a comunidade acadêmica terá uma governança melhor, além da redução de custos em infraestrutura”, reforça Mattes.

O desenvolvimento da primeira versão durou cerca de cinco meses e representa um grande passo para fomentar a pesquisa e o desenvolvimento científico do Brasil. “O Nasnuvens foi baseado no conhecimento e entendimento que a RNP tem das necessidades e das demandas tecnológicas dos coordenadores, professores, pesquisadores e alunos dos programas de pós-graduação (PPGs) brasileiros”, reforça Ribeiro Filho . Segundo ele, esse projeto é fundamental para ampliar a cooperação entre pesquisadores, pois tem como diferencial o uso da abordagem do Design Thinking, combinada com metodologias ágeis, que colocam o usuário final no centro do processo e criam soluções de forma colaborativa.

*Fonte: Assessoria de Imprensa da Globalweb.

Um memorando interno do Facebook mostra como seus funcionários são “obcecados em encontrar novas maneiras de atrair jovens”, segundo o BuzzFeed.De acordo com a publicação, o Facebook usa a equipe do aplicativo “TBH” (de pesquisas online) como referência.

“No memorando, os fundadores da TBH disseram aos seus novos colegas sobre ‘um truque psicológico’ que empregaram para adquirir em massa os usuários adolescentes: uma combinação de extração de informações de contas de alunos do colegial no Instagram, brincando com a curiosidade da juventude e aproveitando horas de intervalo entre aulas”, afirmou Buzzfeed.

O TBH foi comprado pelo Facebook em 2017. No começo deste ano, o aplicativo foi descontinuado

Mais frases do memorando: “O objetivo de compartilhar essas táticas é fornecer orientação para o desenvolvimento de produtos no Facebook — especificamente aqueles que ainda não atingiram o mercado de produtos”, disseram no email interno.

As táticas do TBH, como descritas no memorando, envolviam até o desenvolvimento de diferentes contas privadas no Instagram divulgando o aplicativo e seguindo alunos de escolas específicas. Dessa maneira, os alunos eram guiados pela curiosidade de descobrir mais informações sobre as contas privadas do TBH.

O Facebook conta com 2,5 bilhões de usuários em seus produtos, que contabilizam também o Messenger, WhatsApp e Instagram

“Por exemplo, ao usar as Promoções Rápidas (ou QPs) do Facebook, devemos evitar o fornecimento de um link de download instantâneo”, dizia a nota sobre a tática. “Em vez disso, devemos solicitar permissão de notificação por push para alertar os usuários segmentados em uma data posterior. Dessa forma, podemos coletar seu interesse e contatá-los simultaneamente para garantir uma grande massa durante a hora do lançamento [de um produto]”.

Muitas das notícias sobre a Samsung nos últimos meses dão conta da intenção da diretoria em desenvolver melhor uma área que ficou em segundo plano nas últimas temporadas e agora se tornou prioridade: a inteligência artificial (IA). Os rumores já envolviam melhores versões do assistente digital Bixby e um smart speaker. Agora essas informações de bastidores ganham corpo com um anúncio oficial de investimentos no valor de US$ 22 bilhões, que serão destinados à IA e à chegada da quinta geração de internet móvel, a 5G.

“A Samsung pretende liderar esforços para promover um ecossistema vibrante de inovações e crescimento, alavancando sua tecnologia e décadas de experiência na criação de empresas de sucesso”, destacou o comunicado oficial, distribuído nesta quarta-feira (8).

Os boatos sobre o alto-falante inteligente que a Sammy estaria trabalhando e pode até anunciar muito em breve já apontavam para o desejo da empresa de conectar todos os seus dispositivos de uma forma mais coesa e ampla. Com a chegada do 5G, esses planos devem se expandir para diversos outros componentes da Internet das Coisas, casas inteligentes, dispositivos vestíveis, carros autônomos e até mesmo o setor farmacêutico.

A sul-coreana adiantou que também vai aumentar a verba para a C-Lab, sua incubadora interna, com mais 500 projetos. A projeção é de que sejam criadas 40 mil vagas nos próximos três anos.

menino de 6 anos cujos vídeos sobre brinquedos conquistaram bilhões de visualizações no YouTube lançará sua própria linha de animais de pelúcia, slimes e outros produtos no Walmart no próximo mês, anunciou a rede atacadista nesta segunda-feira (30).

A estrela do canal do YouTube Ryan ToysReview, conhecido simplesmente como Ryan, ajudou a selecionar os brinquedos e roupas que serão vendidos com a marca Ryan’s World, segundo a empresa de mídia infantil pocket.watch, que negociou o acordo com o Walmart.

Os produtos da Ryan’s World serão vendidos exclusivamente nas mais de 2.500 lojas do Walmart nos Estados Unidos e no site Walmart.com a partir do dia 6 de agosto. Os itens serão comercializados por outros atacadistas a partir de outubro.

Os seis canais de Ryan no YouTube encantaram as crianças, muitas vezes atraindo mais de um bilhão de visualizações por mês em vídeos em que aparece brincando e analisando brinquedos. Sua família manteve seu sobrenome em segredo devido a sua idade.

Licenciamentos

A pocket.watch negociou licenciamentos para que diversas personalidades da internet ampliem seu alcance por meio de brinquedos, roupas e utensílios domésticos. Os produtos da Ryan’s World, criados para crianças de 3 anos ou mais, são os primeiros a chegarem ao mercado.

Entre eles estão camisetas com quatro estampas de algumas das coisas favoritas de Ryan, como pizza.

Instagram está mesmo levando a sério essa história de transformar o vertical no novo formato de vídeos mais usado. O app lançou nesta quarta-feira (20) o IGTV, um recurso dentro do próprio Instagram que permite aos usuários postarem e acompanharem vídeos mais longos do que o permitido até então.

Para ter acesso a ele, você precisa atualizar seu app do Instagram na PlayStore. E não se preocupe, se o ícone de TV não aparecer no seu app, você pode baixá-lo separado na loja da Google e fazer login normalmente com os mesmos dados que usa no IG padrão.

Com o IGTV, Zuckerberg investe pesado na concorrência ao Youtube, mas o app tem alguns recursos diferentes do seu oponente. Veja como utilizar o IGTV!

Para assistir

Na tela inicia do app, o usuário é recebido com alguns dos vídeos mais vistos ou em alta no momento, com o menu dividido em quatro abas: Para Você, Seguindo, Populares e Continuar assistindo.

Assim como o YouTube, o IGTV também memoriza até onde você acompanhou um vídeo para continuar de onde parou anteriormente. Todos os seus amigos do Instagram que criarem conta no IGTV já devem aparecer automaticamente na aba “Seguindo”.

Outro recurso é que você pode pesquisar por vídeos e canais enquanto reproduz um vídeo, clicando na barra de pesquisa na tela inicial. Encontrou o que estava procurando? A partir disso, o sistema de interação do App é basicamente o mesmo do Instagram, então se você está habituado a usá-lo, curtir, comentar, marcar amigos e enviar vídeos via direct vai ser bastante fácil e intuitivo.

Criando sua conta no IGTV

Quer compartilhar seus vídeos mais longos com os seus seguidores do Instagram? Basta clicar no ícone com a sua foto ao lado da barra de pesquisar. Depois disso, toda vez que você clicar na sua foto, o app vai te encaminar para a aba com os seus próprios vídeos.

Por enquanto, o app não permite a postagem de vídeos com menos do que 15 segundos ou com mais de 10 minutos, nem tampouco faz transmissões ao vivo – para isso você deve continuar utilizando o bom e velho Instagram. O app também não grava diretamente: primeiro você precisa gravar e depois postar localizando a partir da galeria.

Agora, se você usa mais do que uma conta no mesmo smartphone e já está logado em todas, é possível trocar de conta diretamente dentro do IGTV, não precisa voltar ao Instagram.

Fácil, não? E você, o que achou deste novo recurso?